segunda-feira, outubro 09, 2006

Família Araújo, os pioneiros

Após o coronel Firmo de Araújo ser assassinado ocorreu uma perseguição a seus familiares e correlegionários. Seus descendentes mudaram do município e muitos não mais voltaram a Palma. Uma de suas filhas, Amélia Araújo foi casada com o capitão João Rodrigues Soares Justo(sobre ele escrevo vários posts do blog), que ao fugirem foram para Juiz de Fora e depois Barão de Cocais e Pará de Minas, onde exerceu os cargos de escriturário da estrada de ferro e professor. A última foto que os parentes de João Justo receberam foi em 1925, depois algumas cartas e aos poucos perdeu-se totalmente o contato, até o seu falecimento em 1944.

Não tenho certeza disso, mas pelo que sei, o único que tinha parentesco com Firmo de Araújo e que permaneceu em Palma foi Jeremias de Araújo, seu secretário e tem até hoje uma enorme descendência.

Firmo de Araújo teve muitas mulheres e muitas delas conviviam na mesma casa em harmonia. Depois de uma decepção amorosa, onde os seus pais e da pretende foram contra o relacionamento, jamais pensou em casamento. Teve muitos filhos e nenhum descedente ter tido mais envolvimento com a política na cidade.

Analisando hoje, percebe-se a tenacidade de Firmo de Araújo em fazer de Palma uma cidade importante em Minas Gerais. Não mediu esforços e trazer o progresso e lutou em todas as frentes para que isto acontecesse. Os Araújo foram fundadores da cidade de Barbacena e tinham muito influência política.

O pai de Firmo de Araújo, Antonio Rodrigues Pereira depois de comprar propriedades neste região, trouxe sua mãe, Dona Ermelinda Rodrigues Conceição Pereira, nesta época viúva e que passou a morar numa fazenda, onde hoje está a cidade de Miracema. Dona Ermelinda doou os terrenos para a construção da primeira igreja e área enorme. A construção da igreja tinha como objetivo a vinda de seu filho, Manoel, estudando em Mariana para ser padre. Acontece que Manoel apaixonou-se por Maria da Glória e com ela fugiu.

Além de Palma, Miracema devem muito a esta família pioneira.

Um comentário:

Angeline disse...

Caro Joaquim, estou cá com meus botões intrigada. O pai de Firmo, pelo que consta era Antonio de Araújo Barboso, casado com Luiza, filha de Dona Ermelinda, não?