terça-feira, julho 31, 2007

Fotos de Palma - 2000

Prefeitura Municipal

Paróquia São Francisco de Assis

Fórum

Delegacia de Polícia

Cisneiros - foto de 2000


Na foto acima, tirada no ponto onde tinha a linha férrea, perto da máquina de arroz do Olinto. Onde está a parabólica, a casa e farmácia de Evaldo de Souza Lima. Ao fundo a igreja.

sexta-feira, julho 27, 2007

Eleições em Palma

As eleições no município sempre foram bastante disputadas. No passado eram até mesmo violentas e nas últimas décadas, quando a data do pleito aproximava os ânimos ficavam exaltados, causando divisões, principalmente dentro das famílias.

Uma característica interessante em Palma é que as famílias ficavam divididas entre a situação e oposição e, isto ficou bastante evidente na eleição de 1988, quando Geraldo Magela (situação) disputou com seu tio Pepê(oposição) o cargo de prefeito. Outro fato: nesta época o sogro de Zequinha Roldão, Sr. Juca Amaral, chefiava o partido de oposição.

Na eleição de 1976 disputaram Luiz Teixeira Gonzaga de Barros (situação) e Horácio Pompei (oposição). A situação utilizou o discurso de que Horácio Pompei nem era do município e, Luiz Teixeira acabou vencendo.

Em 1982, o PT disputou a primeira eleição, tendo “Touro” como candidato a prefeito. Várias pessoas participaram da fundação do diretório no município, sob a liderança de Paulo Prazeres – candidatou-se em 1986 a deputado estadual, tendo boa votação, mas não conseguiu eleger-se.

O PT lançou nesta eleição muitos candidatos para vereador, mas nenhum conseguiu vaga na câmara. A entrada deste partido mudou um pouco o panorama da política e isto ocorreu pela insatisfação pelo declínio da economia municipal e, como decorrência o êxodo rural. A liderança de Zequinha Roldão continuou forte e Mário Celso venceu.

Mário Celso foi gerente da Minas Caixa por muitos anos e apesar de ser uma pessoa tímida era bastante popular. Muitas obras de infra-estrutura foram executadas por todo o município. Faleceu antes de concluir o mandato, sendo substituído por seu vice, Mário Lúcio Guedes(Lucinho) que deu continuidade nos trabalhos e, sem dúvida podemos dizer, de 1982 a 1988, a melhor administração municipal da história de Palma.

A eleição de 1988 a oposição ganhou força com a candidatura de Marco Antônio de Freitas. Um mês antes da eleição, próximo a Belo Horizonte, morreram Marco Antônio e seu pai, Waldir de Freitas. Houve comoção em todo o município e numa reunião na casa de João Antônio, o comando da campanha indicou os nomes de Pepê e Antônio Pinto(prefeito e vice-prefeito).

A oposição venceu com o discurso de trazer uma nova dinâmica para a administração municipal. A vitória foi bastante comemorada devido Zequinha Roldão ter perdido a primeira eleição depois de décadas no comando do partido.

Um ponto importante nesta vitória foi o apoio do PT. Embora nesta época o partido fosse contrário a coligação com outros partidos, em Palma, os militantes do partido votaram e trabalharam para vitória de Pepê e, muitos fizeram parte de sua administração.

segunda-feira, julho 16, 2007

Exposição Agropecuária de Palma

A mais importante festa do ano de Palma acontece do dia 19 a 22 de julho. Vários eventos estão programados tais como festival de rock, festa do cavalo, etc.
Família Freitas e o livro sobre Firmo de Araújo

Luiz Antonio de Freitas

Em 1996, o prefeito Luiz Antonio de Freitas promoveu a publicação de um livro contando a história do Assassinato do Coronel Firmo de Araújo, escrito por Maurício Monteiro.

Havia comentando em posts anterior sobre o livro sobre Altivo Linhares e também a história de Firmo.

Nesta edição foram feitas correções e contém um prefácio do jornalista Avelino Ferreira.

Capa do livro de Maurício Monteiro

A família Freitas possui um histórico importante na luta política no município de Palma, desde a época de Firmo de Araújo. Waldir de Freitas, pai de Marco Antonio e Luiz Antonio chefiou o partido de oposição por muitos anos.

O município conheceu a campanha mais emocionante em 1988, quando Marco Antonio saiu como candidato à prefeito. No dia 12 de outubro, viajava a Belo Horizonte com seu pai, quando sofreram um acidente de carro.

A campanha tomou outro rumo e pela emoção do ocorrido, os militantes e simpatizantes do partido de oposição foram às ruas e conseguiram virar uma eleição já praticamente ganha. Pepê venceu seu sobrinho Geraldo Magela por uma diferença pequena de votos.

sábado, julho 14, 2007

Recibos de Pedro Renault

Pedro Renault foi escrivão em Cisneiros e no cartório existem arquivados muitos documentos da época do início da povoação. Abaixo a reprodução de dois recibos interessantes:

Palma no Jornal dos Sports



Paróquia do Capivara

O primeiro padre da paróquia do Capivara foi Joaquim Nogueira Penido e o primeiro batizado registrado no livro o de José, no dia 12 de outubro de 1851, filho de José Martins Netto e Rita Candida de Jesus.

Em uma das páginas do livro existe o seguinte registro:

Revisto por mim os assentos dos baptisados livres e captivos deste Curato de São Francisco de Assis no lugar do Capivara; e muito louvando o aceio e zelo do Reverendíssimo Cura; contudo recomendo ao mesmo, que os assentos dos baptisados sejão feitas com as competentes declarações de dia mês e anno, cor idade do recém nascido,e naturalidade dos pais; afim de satisfazer-se a exigência do Governo, para declarações estatísticas e bem assim dos avós paternos e maternos conforme determina a Constituição do Bispado. Em visita, Capivara 2 de Outubro de 1853.
O. Com. Arcip. Vig. João Carlos Monteiro

Neste mesmo livro de registro dos batizados, existe um registro interessante:

Thomas, inocente, pardo, filho de Luciana crioula, escrava de José Antonio Alves, nascida a sete de junho de mil oitocentos e cincoenta e sete, foi por mim solenemente baptisado no Oratório da Fazenda Invejada a vinte e três de julho do dito anno. Foram padrinhos Francisco Candido Rodrigues e Luciana Adriana de Jesus; e nesta ocasião pediu-me o Senhor do recém-nascido que nesse assento e declarou liberto como se nascesse de ventre livre; pois assim o fazia por julgar que entre ele, e o baptisado existiam relações de parentesco, ficando desde o momento, reconhecido livre o referido inocente do que para constar faço este, em comigo assigna o dito Senhor Alves. Era ut supra.
Joze Antonio Alves
Vigário Joaquim Nogueira Penido
Eleições em 1866 e 1867

A qualificação dos eleitores do distrito do Capivara dos seguintes quarteirões foram feitas no dia 23 de janeiro de 1866:

-1º quarteirão – 36 votantes
-2º quarteirão – 21 votantes
-3º quarteirão – 43 votantes
-4º quarteirão – 36 votantes
-5º quarteirão – 30 votantes
-6º quarteirão – 18 votantes
-7º quarteirão – 18 votantes
-8º quarteirão – 87 votantes

Em 1866 o Capivara contava então com 289 votantes qualificados.

Na qualificação de 21 de janeiro de 1867:

-1º quarteirão – 38 votantes
-2º quarteirão – 28 votantes
-3º quarteirão – 48 votantes
-4º quarteirão – 44 votantes
-5º quarteirão – 37 votantes
-6º quarteirão – 21 votantes
-7º quarteirão – 20 votantes
-8º quarteirão – 88 votantes

Em 1867 o Capivara contava então com 324 votantes qualificados.
Palma

O partido chefiado pelo Cel. Costa Mattos e que na política do Estado obedece a orientação do ilustre deputado dr. Astolpho Dutra, fez todas as mesas eleitoraes, na reunião da Junta Organizadora dessas mesas a 30 de dezembro findo. A facção contraria conseguiu apenas oito membros, entre efetivos e suplentes, dispersos pelas 15 secções de que se compõe o município.
Os trabalhos da junta, que se iniciaram as 12 horas do dia 30 só terminaram a 1 hora da manhã do dia 31.
A junta em tudo e com o máximo escrúpulo, procedeu de acordo com a lei.
Pelos srs. Coronel Roldão Ascenso e Ademar de Mattos Ferreira eleitores de Tapirussú foram apresentados dois ofícios indicando mesários para a 15ª secção. A junta impugnou esses ofícios, ambos eivados de vícios e irregularidades, sendo que um deles entre outros documentos, trazia o título de eleitor de Pedro Celidonio Monteiro dos Reis sem assignatura e apenas cheio de dizeres usuais.
O presidente da junta expediu, no prazo legal e a seus destinos, as copias autenticas da ata da reunião, afixou os editaes ordenados pela lei e esta expedindo aso mesários eleitos.
A reunião foi presidida pelo 1º suplente do substituto do Juiz Federal em exercício, Américo José Fernandes, servindo de secretário o ajudante do procurador da República, Capm. Sebastião de Aquino Affonso, a ela comparecendo os membros efetivos capitães Albertino da Costa Mattos, Laudelino Gonçalves Campos e João Fernandes Vieira e suplentes coronel Manoel Gonçalves Pinheiro, capitães José Nicolau Ferrari e Christalino Gonçalves Campos, Major Ernestino de Moraes e capm. Nicanor Barboza do Amaral, este ultimo, oposicionista.

JUNTA DE REVISÃO DE ALISTAMENTO

Sob a presidência do Exmo. Sr. Dr. José de Amorim, M.D. Juiz e Direito da Comarca, reuniram-se no dia 5, na sala das sessões da Câmara Municipal os contribuintes do imposto territorial e dos predial, e os vereadores á Câmara e seus suplentes, para o fim de se eleita a junta de revisão do alistamento no município.
A comissão funcionou com toda a regularidade, tendo ficado constituída a junta.

PRÓXIMO ENLACE

Realiza-se a 25 do corrente mês o consórcio da gentil senhorita Helena Duarte, dileta filha do Sr. Major Eleutério Dias Duarte, fazendeiro neste município, com o Sr. Eliezer de Almeida.

Tribuna Popular Nº 08 - 10 de janeiro de 1915 – Cataguases(MG)
Testamento de Firmo de Araújo

Em 15 de julho de 1912, três dias após o coronel Firmo de Araújo ser assassinado foi transcrito no Livro de Registro de Testamentos da Comarca de Palma às folhas 37, 38, 39 e 40 por Francisco Coutinho um testamento elaborado no ano de 1896.

O testamento escrito por Ildefonso Moreira de Faria Alvim a pedido do coronel Firmo e, este alega não ter escrito de próprio punho devido a estar acometido de uma moléstia. O testamento foi escrito no dia 20 de setembro de 1896 na sede da Fazenda Palmeiras na presença de várias testemunhas e nomeou como seus testamenteiros em primeiro lugar o Major Ernesto da Paixão e Souza e em segundo Antenor de Araújo Freitas.

Os bens relacionados são: a Fazenda Palmeiras, a Fazenda Fortaleza, a Fazenda Quero e Posso, a situação comprada a Peregrino Rodrigues Pereira, a Fazenda Duas Barras, a Fazenda Lagoa Dorada, a Fazenda Floresta que já está permutada com Francisco de Freitas Lima pela Fazenda Belmonte.

Firmo de Araújo declarou ter vários filhos já reconhecidos por escrituras públicas e relaciona as mulheres e filhos:

Clotilde Flauzina de Araújo tem três filhos – Olegário, Homero e Amélia.

Benedicta Beltolda Araújo(falecida) tem três filhos – Theophilo, Christiano e Iná.

Amélia Ferreira de Araújo tem uma filha batizada com o nome de Minervina.

Flauzina de Araújo Pereira tem três filhos – Américo, Amélio e Antonio.

Thomazina Eugenia de Araújo(falecida) tem dois filhos – Israel e Horacio.

No testamento, Firmo de Araújo determina a cada um sua parte na herança e, o interessante que até mesmo alguns de seus meeiros seriam contemplados.

O documento não teve valor afinal quando assassinado, seus bens foram vendidos em hasta pública, cobrindo por volta de 16% de seus débitos.

Os filhos por ele reconhecidos chegam ao total de 12 e, segundo as lendas que corriam eram tantos que não se tinha a quantidade exata.

A perseguição aos filhos e qualquer pessoa que teve relacionamento com o coronel Firmo de Araújo Pereira foi implacável.

Atualmente, não se tem conhecimento de nenhum descendente do coronel Firmo de Araújo morando no município de Palma.
Estrada de Ferro Leopoldina

No ano de 1873 foram iniciados os primeiros trabalhos de construção da estrada de ferro em Porto Novo do Cunha. Inaugurado em 1874 o primeiro trecho de Porto Novo a Volta Grande, a linha tronco foi aberta ao tráfego em 1877 até Cataguases.



A linha do Alto do Muriaé ( de Recreio a Carangola) teve origem por uma lei provincial de 1879, para a construção de uma ferrovia que passasse por Capivara(Palma) e terminando no povoado de São Francisco do Glória, município de Muriaé. A concessão foi dada por um prazo de 50 anos pelo trecho de 30 quilômetros e subvenção quilométrica de 9:000$ ou garantia de juros de 7% ao ano durante 20 anos sobre um capital máximo de 2.600:000$. A companhia optou por subvenção construiu os primeiros 28 quilômetros até perto do Capivara transferiu os direitos em 1883 à Estrada de Ferro Leopoldina.
Palma em 1918

Segundo o “Annuario de Minas Geraes” publicado e dirigido pelo Dr. Nelson de Senna, em 1918 Palma tinha cinco distritos: a cidade, Cachoeira Alegre, Cisneiros, Itapiruçú e Morro Alto. A área terrotorial era estimada em 522 quilômetros quadrados e a população em 30.000 habitantes. No município de Palma ficavam as estações ferroviárias de: Banco Verde, Celidônio, Cisneiros, Morro Alto, Palma, Silveira Carvalho e Itapiruçú, todas pertencentes a Leopoldina Railway. Pelo decreto Nº 4.895 de 06 de novembro de 1917 é criado pelo governo do estado, o Grupo Escolar.

E pelo artigo 9 da lei Nº 556 de 1911: “as divisas do districto do Morro Alto, no município de Palma são por um lado com o município do Muriahé(divisas atuaes): por outro com o districto de Cachoeira Alegre, partindo da Fazenda do Pontão em linha recta à Fazenda dos herdeiros de Evaristo Pereira de Carvalho; seguindo a mesma linha recta até a Fazenda de José Joaquim Nogueira da Gama e dahi ao ponto mais próximo a encontrar o território do município de Muriahé, ficando aquellas Fazendas situadas dentro do districto da Cachoeira Alegre”.

O mesmo anuário informa que em 24 de junho de 1913 foram submetidos a júri e absolvidos os mandantes e mandatários dos assassinatos que foram vítimas o Coronel Firmo de Araújo Pereira, o francês José Simoneaux, o inglês Guilherme Luiz e os camaradas José Fraga e José Padeirinho. Os réus absolvidos foram: José Barbosa de Castro Júnior, padre Joaquim Rodrigues Cardoso, Francisco Barbosa de Castro, Osório Barbosa de Castro, João Coelho de Faria, Manoel Laxe de Gouvêa Mendonça, Domingos Macedo, Geraldino da Silva Sobrinho e Bibiano Antonio Theodoro.

quinta-feira, julho 12, 2007

Documentos importantes da história de Cisneiros

Escritura da compra da Fazenda Aliança - 1883





Ata da pedra fundamental da Capela Imaculada Conceição - 1898
Jornal "O Manifesto"

Abaixo as imagens da edição completa de "O Manifesto" de 20 de setembro de 1988 - Nº 04.


Família Soares Justo

Já foram publicados neste blog vários artigos sobre a família de João Rodrigues Soares Justo. A foto abaixo é do casamento de sua primeira filha Maria(também conhecida por Oscarina), por volta de 1910.




Veja também:

João Rodrigues Soares Justo
A grande festa de 1988

Nos dias 18 e 19 de junho de 1988 aconteceu em Cisneiros uma grande festa para comemorar os 90 anos da construção da Igreja Imaculada Conceição e os 25 anos de sacerdócio de José Antônio Netto de Oliveira (Padre Netto).

Padre Netto

A festa foi organizada pela Adelaide Guedes Amorim e contou com a participação de mais de 500 pessoas que vieram de muitas partes do Brasil.



Altar da Igreja Imaculada Conceição de Cisneiros(MG), após última reforma

Agradeço a Valéria Côrte Real que enviou a foto da capela.

Ferrovia para Laranjal

No livro “História Geral do Laranjal” do padre Geraldo Mendes Monteiro é reproduzido um documento impresso pela tipografia do jornal “Ordem” de Ouro Preto um memorial que foi apresentado ao Congresso Mineiro sugerindo a construção de uma ferrovia partindo da estação do Tapirussú(Cisneiros), passando por Laranjal e terminando em Cachoeira Alegre.

O documento é rico em detalhes sobre o custo e renda futura. Junto ao documento foi incluída uma planta que se perdeu. O mapa reproduzido abaixo foi elaborado para o livro do padre Geraldo.


O projeto nunca foi executado.
Palma em 1925

Neste ano, segundo estatísticas do governo, o município de Palma tinha 629 quilômetros de área e uma população de 25907 habitantes.


Legenda da foto acima: 1-Distribuidora, cadeia, fórum e paço municipal; 2-Paço municipal; 3-Praça Dr. Seixas, num dia de festa; 4-Grupo funcionários do fórum; 5-Cel. José Barbosa de Castro Júnior, presidente da Câmara; 6-Congelação; 7-Serviço de abastecimento de água.

A cidade já possuía abastecimento de água potável e não havia nenhum registro de caso de epidemia. Nesta época já estava instalada a fábrica de laticínios, muito conhecida por Congelação, exportando seus produtos como: leite, queijo, manteiga, mortadela para o Rio de Janeiro.

A principal produção do município é o café e produz ainda outros cereais como: arroz, milho, feijão, etc.

Os principais fazendeiros:

José Barbosa de Castro Júnior, presidente da Câmara
Jayme Gouvêa(chefe político Morro Alto)
Antonino Barbosa de Castro e Silva
Barros e Fortes
Eleutério Dias Duarte
Francisco Pereira de Freitas
José Barbosa do Amaral
Oliveira, Irmãos & Leão
Olympio Martins do Amaral
Anna Barroso Lima Gouvêa
João Fernandes de Almeida
Evaristo Ernesto Pereira de Carvalho
Roldão A Pereira Lopes(chefe político de Itapiruçú)
José A Ribeiro
Gaspar Arantes
João P de Carvalho
Junqueira Arantes

De volta

No dia 03 último, publiquei um post encerrando este blog. Na última semana avaliei melhor e, resolvi continuar a publicação.

Agradeço as mensagens das pessoas incentivando a continuação do blog.

E vamos aos novos artigos.

terça-feira, julho 03, 2007

Encerramento do blog

Foi com muito prazer que ao longo destes últimos 12 meses estivemos juntos na elaboração deste blog. Muitas pessoas colaboraram com fotos, informações, sugestões e críticas. Agradeço a todos.


O blog é um mecanismo moderno e dinâmico – é preciso ter informações atualizadas.

Nos últimos meses o material documental e as idéias ficaram escassas, não permitindo que novos artigos fossem publicados.

O blog continuará no ar para consulta. No futuro, alguém deverá publicar estudos mais completos sobre a história de Cisneiros, Palma e Itapiruçú.

Atenciosamente,

Joaquim Ricardo Machado