sexta-feira, setembro 01, 2006

Família Côrte Real

Esta família têm origem em Portugal, e recebeu este nome por serviços prestados à Coroa Portuguesa.

O poeta italiano Cataldo Sículo, residindo temporariamente em Lisboa, publicou na coletânea "Poemata" de 1502, uma homenagem que fez ao navegador Miguel Côrte Real:

Foge-me o talento e a eloquência, apodera-se de mim o terror, quando tento dizer os feitos de tão grande capitão.
É aquele que tem o nome do príncipe celeste dos cavaleiros e a quem os antepassados legaram o apelido de Corte Real.
Tudo quanto faz é digno de triunfos, digno de ser posto em tábua de cedro.
Avô e bisavô o tornaram nobre pelo sangue. E ele os adorava em todas as virtudes
Ele tudo realiza, segundo o pensamento de quem lho ordena (o Rei).
Cavaleiro ilustre, ora atua como soldado, ora veste armas ligeiras. Em qualquer caso, a sua presença significa vitória.

Não foi possível precisar a presença desta família no Brasil. Existe, entretanto registros de membros desta família que participaram da Revolução Pernambuca, em 1817, liderada por Frei Caneca.

O Dr. Bernardo Cysneiro da Costa Reis tinha um cunhado, o Dr. Manuel Thomaz B. Côrte Real, que é citado em sua tese de doutoramento. E analisando os documentos em registros de cartórios, nota-se que muitos membros da família Cysneiro, eram parentes dos Côrte Real.

Ainda não consegui informações mais precisas sobre o Sr. Vital Cysneiro Côrte Real, pai do Márcio Nogueira Côrte Real. Ele foi um dos maiores fazendeiros de Cisneiros. Sua fazenda dedicada à agropecuária e ainda existe o prédio da séde, na estrada que vai para Itapiruçú.

O Sr. Vital, torcedor fanático do Botafogo e, esta informação também não é confirmada, mas trouxe uma vez, o time oficial para jogar em Cisneiros, nos anos 50.

Segundo Valéria Côrte Real, seu irmão Maurício está fazendo uma pesquisa sobre a origem da família.

Muitos membros desta família residem em Cisneiros e Palma.

Agradeço a colaboração de Valéria Côrte Real para a elaboração deste artigo.

4 comentários:

jcrmar disse...

Por curiosidade, navegava em busca de informação publicada sobre a família Côrte-Real e deparei com o vosso Blog.
Não tenho informação concreta sobre a família no Brasil, mas não quis deixar de registar este humilde testemunho: meu avô, João Côrte-Real Júnior, nas ceu em Santos em finais do séc.XIX ou início do XX. Fazia parte de família com solar em Vilarouco, S.João da Pesqueira, Portugal, juntamente com outro ramo da família, os Serpa Côrte-Real, cujo solar pode ver na net, já que está transformado em turismo de habitação.
Tanto quanto sei, pensa-se que a família teria fugido das invasões francesas juntamente com a corte de D.João VI e aí teria prosperado. Sei que na década de 40 do séc. passado minha mãe ainda possuía família em S.Paulo, embora raramente se comunicassem.
A família tinha, ainda, casa em Manaus. Diz-se que, viajando muito no "vapor" entre Brasil e Portugal, teriam alguma influência, de tal forma que minha tia avó Julieta, falecida a bordo do paquete, em vez de ser sepultada no mar, desviaram o barco até Pernambuco onde lhe deram sepultura.
Enfim, um insignificante contributo, com toda a certeza para o que deseja saber, mas aquele que me é possível dar.

Paul Makito Morimoto disse...

Meu avô morreu muito cedo com 33 anos,deixou 5 filhos pequenos ,um destes filhos era meu pai ,DJALMA CELESTE CÔRTES, FILHO DE ARNALDO DE OLIVEIRA CÔRTES E EVANGELINA CELESTE CÔRTES,
Meu grande sonho e conhecer a família do meu avô que partiu tão cedo , e eu não tive o prazer em conhecer..
Meu nome é Maria Madalena Côrtes
Agradeço os futuros contatos.

Renato Côrte Real disse...

Faço parte.

Renato Côrte Real disse...
Este comentário foi removido pelo autor.