sexta-feira, agosto 18, 2006

As ruas de terra

Os jovens nem se lembram, mas até por volta de 1986, as ruas de Cisneiros eram todas de terra e quando não tinha lama, tinha poeira.
Uma vez estava com meu pai, voltando do sítio na região do Ouro, de charrete quando logo após a curva da serraria do Moacir, vinha em sentido contrário à pé, Sebastião Jovem, já falecido e, que tinha o apelido de Bastião Bengala. Meu pai chicoteou o cavalo e ao chegar na sua direção jogou a charrete numa poça e o Sebastião ficou todo enlameado. Xingou muito e meu pai ria sem parar. Eram primos.
Quando alguém lhe chamava por este apelido, Sebastião Jovem ficava possesso e em muitos casos, chamava para a briga.
Trabalhou por muitos anos no sítio do farmacêutico, Evaldo de Souza Lima.

Um comentário:

Anônimo disse...

PARABENS PELA INICIATIVA DE MOSTRAR PARA TODO BRASIL O AMOR E O CARINHO PELA TERRA DE ORIGEM.