domingo, agosto 06, 2006

Uma decepção amorosa fez Palma uma cidade

Isto parece coisa de romance, mas é a pura verdade. Em um dos primeiros post deste blog conto a vida do Coronel Firmo de Araújo Pereira. Praticamente toda a infra-estrutura de Palma, e que ainda existe até hoje, deveu-se ao idealismo e tenacidade deste cidadão.
Firmo de Araújo veio parar nestas terras, após seu pai adquirir a fazenda Fortaleza. Começou sua carreira política em Santo Antônio de Pádua como sub-delegado de polícia e depois por volta de 1877, eleito juiz de paz de Miracema e por esta época sua atenção despertada para a calma e pequena povoação do Capivara. E sua família tendo fazenda neste lugar, fez parte da comissão que construiu o cemitério e igreja. E por esta época nos registros de batizados nota-se sua presença, sempre como padrinho.
Em 1862 voltou a Barbacena para estudar, onde fez amizade com o Dr. Bias Fortes, que depois foi governador de Minas Gerais e que lhe ajudou muito na sua luta de transformar o pequeno Capivara em município. E por esta época Firmo de Araújo se apaixonou por uma moça e sua família foi totalmente contra este namoro. Não conseguimos descobrir os motivos e, isto é citado em exemplar de um jornal publicado em 1910, em seu aniversário, onde o coronel recebeu muitas homenagens pelo seu trabalho realizado no município.
E para que esta paixão não tomasse outros rumos seu o pai o enviou para a fazenda Fortaleza. Na fazenda trabalhou com muito afinco, e descobriu sua vocação de administrador e político.
Ao ser proclamada a república assumiu a administração do município, construindo o prédio da prefeitura, o fórum, a cadeia, a escola e tantas outras obras. Palma com o apogeu do café era uma cidade próspera, contando com ferrovia, hotéis e até jornal.
E devido a esta paixão frustrada, acredita-se que o matrimônio não tenha lhe atraído, e teve muitas amantes e filhos.
Contam que o coronel Firmo, quando no auge de seu poder ao passar pelas ruas de Palma à cavalo e se visse uma moça bonita, mandava um recado para o pai enviá-la à sua casa e se este desobedecesse, seus capangas iam e a levavam à força. Dizem que suas amantes viviam em harmonia na fazenda Fortaleza. E um de seus filhos, o Firmozinho, acabou assassinado em Miracema devido a abusos sexuais. Antes de ser assassinado, vivia incomodado com doenças venéreas.
E devido ao seu poder político a firmeza de seus atos e palavra, o coronel teve muitos inimigos e, a cada dia que passava eles aumentavam. Passaram a acusá-lo de dar cobertura a ladrões de cavalo e saiu várias reportagens na "Gazeta de Notícias" do Rio de Janeiro, todas contestadas por Jeremias de Araújo, por muitos anos seu secretário. E estas difamações começaram após Firmo de Araújo, a pedido do Governo do Estado, desempenhar uma bem sucedida missão em Muriaé, onde colocou fim a uma sangrenta briga entre os coronéis. Firmo de Araújo sempre foi rico e nesta mesma época administrava enormes propriedades, era prefeito de Palma e tinha muito prestígio político no estado e, isto de dar cobertura a ladrões de cavalo, com certeza não passava de calúnia.
E se a paixão de Firmo de Araújo não fosse frustrada, a história de Palma seria outra.

2 comentários:

Sidney Eduardo disse...

Essa história daria um romance e tanto!

Marcos A. de Albuquerque disse...

Eu também concordo, daria um belo romance. Total apoio!