quinta-feira, agosto 31, 2006

RIO POMBA

Serpenteando vales e brenhas,
Num rumor constante segue o caminhante da lua e do sol.
Segue altaneiro!tão sombraceiro!
Rigando e ornando todo arrebol
Fonte dos banhos das andorinhas.
Fonte e espelho,dádiva é tê-lo
Dádiva augusta de terra minha!
E o doce sussurro das cachoeiras?!
Na cheia é mar bravio calmo e gostoso no estio
Quando maduram os ingás às ribeiras.
Chamam-no traçoeiro,mas que bom é pescar
E em suas águas remar!
E o peixe fresquinho comer sorrateiro.
Oh! você é meu rio risonho
Da linda paisagem cisneirense,
Que no verão,inverno,sempre,sempre
É o POMBA das pombas de um sonho!

Newton de Souza

Este poema do Newton de Souza foi publicado em um tópico da comunidade "Eu amo Cisneiros" por Rosane Guedes de Souza

Nenhum comentário: