terça-feira, agosto 22, 2006

Eu amo Cisneiros por Daniela Fialho Barreto

Falar de Cisneiros é um grande orgulho para mim, pois lá é a terra do meu pai, e de lá que tenho as grandes recordações de minha vida, foi de lá que muitas vezes tirei forças para continuar a seguir, e de lá que falo para o meu marido sobre o que é um lugar para viver e se criar filhos. Conto sobre liberdade e vida e daí conto histórias para o meu filho sobre ser realmente uma criança feliz, como não lembrar das tardes incansáveis de bingo na casa da minha vô Nega, das doces bagunças no quintal, correndo atrás das galinhas, ou se não, subindo no pé de cajá, jabuticaba ou da fruta que estivesse lá no pé prontinha para ser deliciada sem nenhuma contaminação. Ou dos jogos de vôlei no velho armazém, aquele café da manhã maravilhoso regado a café-com-leite, manteiga puríssima, queijo e o velho famoso pão tatú quentinho.
Ou então o ki-suco na hora do almoço com inesquecível macarrão da vovó. Caramba quantas lembranças. Com certeza quem passou por lá têm uma história prá contar. Ou do pontilhão. Ou da roda d'agua ou simplesmente de uma pequena aventura que não pode escapar, pois o lugar é tão mágico que ninguém sai sem histórias prá contar.
Um amigo meu não acreditava no que eu dizia a ele sobre lá até então lá chegar e ele disse que do pôr do sol do pontilhão nunca mais ia se olvidar, pois além de maravilhoso podia até mesmo se ouvir o seu som e que aquela viagem tinha sido uma das mais encantadoras de sua vida e sempre que nos falamos ele me pergunta quando podemos voltar, sem contar do tempero mineiro que ele disse que outro melhor não há. Nisso eu tenho que concordar. Oh que saudade daquele feijão com arroz da tia Ercilia, do macarrão que vovô fazia, da batata temperada do tio Jacy, temperos estes que de longe já se sentia. Tudo que eu peço a Deus é que um dia eu possa regressar a este lindo lugar para mostrar aos que amo(meu marido e meus filhos) que ainda se existe um lugar encantado para gente passear. Bem, acho melhor parar por aqui. Um dia conto um pouco mais.

Agradeço a Daniela Fialho Barreto de New Jersey(EUA) que autorizou a publicação neste blog

Nenhum comentário: