segunda-feira, julho 24, 2006

Apanhei de um menino

Naqueles anos 70, a maior parte da economia era baseado no arroz. E a colheita feita de maneira manual, a única fazenda onde tentaram mecanizar foi a Filinho Finamore. O arroz plantando na vargens utilizando mudas e normalmente, ocorria entre setembro e dezembro. A capina feita em duas vezes, normalmente, entre janeiro e fevereiro. A colheita de abril a junho.
Depois da colheita do arroz, fazia-se a secagem em terreiros e depois, ensacado e guardado em tulha. E vendido para as máquinas de beneficiamento da região, transportado em caminhões.
Geraldo Carro morou em diversas fazendas e numa delas de Filinho Finamore, sendo uma figura muito engraçada e também gago. E numa destas secagens, ao mexer nas pilhas de arroz começou a pular muitos ratos. E Geraldo tentava matá-los pisando com sua botina. Um garoto aproximou-se com um porrete e também passou a bater nos ratos e em dado momento, acertou a perna de Geraldo Carro. E este sempre comentava: "eeemm toooda miiiinha viiiida nuuuuca tiiiinha apaaaaanhado de uuuummm homemmmmmm e hoje apaaaaanhei de uuuummm meninooooo".

Nenhum comentário: